Instituto de Mediação e Arbitragem de Portugal

GRAL inicia campanha publicitária sobre Mediação de Conflitos

O Gabinete para a Resolução Alternativa de Litígios do Ministério da Justiça (GRAL) inicia no dia de hoje uma divulgação sobre os benefícios que o cidadão e empresas podem obter por recorrer ao serviço público de mediação.

O nome da campanha é «Mediação é a solução» e vai passar pela imprensa, rádio, televisão e mupis.

O editor da página do IMAP,
Pedro Morais Martins

4 Comentários a “GRAL inicia campanha publicitária sobre Mediação de Conflitos”

  1. Elza Mahalem diz:

    Olá,
    Sou mediadora e muito empenhada em dar a conhecer a importância deste trabalho. Quero felicitar pela iniciativa e me colocar a disposição para qualquer coisa que possa fazer para colabora.
    Gostaria de sugerir que na rede televisiva as abordagens a serem feitas, sejam interactivas permitindo que as pessoas telefonem e tirem suas dúvidas.
    Contem comigo e terei muito gosto em ajudar. Já publiquei, no Brasil, vários artigos sobre mediação e também dei algumas entrevistas nas televisões brasileiras. Tive um Instituto de mediação e arbitragem no interior de São Paulo que se manteve até o momento em que me mudei para Portugal, por razões pessoais. Minha formação de base é Direito e tenho mais de 400 horas de formação em mediação de conflitos.

  2. Maria João Bravo diz:

    Caros amigos, caros formadores.
    Tenho dito que a mediação é a minha paixão, mas as paixões são efémeras, por isso, reformulando positivamente, direi que a mediação é um dos meus múltiplos amores.
    As coincidências existiram as circunstancias permitiram.
    Ontem, por três horas, voltei ao mundo, à dança da mediação.
    Ontem, dancei!
    A iniciativa foi promovida pela Mediarcom , sob o titulo de Mediar Drama, a Dr.a Isabel Oliveira da Jurisolve desenhou a possibilidade de realização de caucus na sessão de pré-mediação, tema que mais adiante abordarei.
    Mas antes ainda, fica aqui expressa a minha felicidade , o meu orgulho, o meu aplauso, para o facto de ter constatado, que a próxima sessão de formação contínua ,vai ter a participação do Imap e em especial a presença e coordenação do Professor Vezzulla.
    A todos os que lerem as minhas palavras, direi que é um evento a não perder.
    Comigo esteve a Silvia, ela também uma apaixonada por mediação , estou certa que de alguma forma ela não deixará de manifestar a experiência desta sessão de formação, o seu ponto de vista
    As duas , temos a formação prestada, pelo Imap, os restantes participantes eram maioritariamente mediadores , com formação prestada pela Jurisolve.
    Se bem entendi, a proposta da Dr.a Isabel Oliveira foi levar-nos a reflectir sobre a realização de caucus na sessão de pré mediação, nomeadamente e mormente, quando entre os mediados existe uma eventual relação de poder. Aponta e defende esta técnica nos casos de mediação laboral e nos casos de mediação penal.
    Como aspectos positivos, indica entre outros os seguintes:
    1- É mais fácil, alcançar empatia mediador/mediado e consequentemente, ganhar a confiança deste no processo e no mediador.
    2 _ Recolha de informações sobre o conflito….neste ponto fiquei com duvidas, se nesta primeira abordagem a pesquisa abarca apenas o conflito objectivo…. ou pretende ir mais além e parece-me que sim……..
    3- Levar a que o mediado possa, nesta sessão em separado, apontar aspectos/opiniões positivas sobre a questão e/ou sobre o outro em concreto ( o que normalmente demora mais tempo em sessões conjuntas)
    4- Permite distanciar os mediados do conflito, consequentemente das emoções , levando-os a objectivar mais rapidamente
    5- Investigar as perguntas que os mediados , reciprocamente gostariam de ver respondidas e atendidas, na sessão conjunta
    6- Trabalhar para a perspectiva do futuro.
    Como técnicas sugeriu o “raport” – utilização de uma linguagem não verbal idêntica à do mediado-, a especial atenção do mediador às “palavras semáforo” proferidas pelo mediado, nomeadamente às de caracter mais geral,vago e impreciso, e a “pergunta milagre”.
    Desta apresentação, do decorrer da sessão de formação, e não sei ainda a opinião da Silvia , fiquei com a sensação de que as formações promovidas pelo Imap e as formações dadas pelas Jurisolve, embora coincidentes nas técnicas e nas caixas de ferramentas utilizadas, são substancialmente diferentes.
    Isto porque me pareceu que Jurisolve encara a mediação de uma perspectiva mais cientifica, mais desligada das pessoas do que o Imap.
    A formação que me foi dada,( Imap) se bem que assente em estudos, técnicas , pesquisa e na ciência, é muito mais voltada, centrada e focalizada para o homem.
    É mais humanista, …..
    Por ter tido essa percepção é que no momento da realização de um exercício de simulação, sugeri que fosse realizada em co mediação e por pessoas de cada uma das entidades formadoras.
    Achei interessante a possibilidade de averiguar como funcionaria.
    Participei como mediadora, em termos de observação a Silvia poderá depois – e vou pedir-lhe que o faça- uma analise
    No meu ponto de vista, o que falhou:
    1- O mediado não foi devidamente acolhido.
    2- Não foi esclarecido do processo, nem dos objectivos
    3- Não se logrou distinguir e fazer ver a distinção entre a pre-mediação e a sessão conjunta.
    4- A utilização de técnicas , especificas da sessão conjunta, nesta sessão em separado, como a tipologia das perguntas, a pergunta milagre, os resumos, fizeram-me mentalmente confundir os desideratos de cada uma das fases e senti-me perdida…mais porque fiquei perdida…..não logrei escutar totalmente.
    5 – Em meu entender, as perguntas feitas pelo Colega, eram formuladas de modo algo complexo e longo e de foram demasiado formal
    6- E eu, não consegui formular perguntas abertas nem circulares
    6 – A vertente “mais cientifica” da formação do Jurisolve, não deixa nascer ou fazer fluir, o empoderamento.
    7- Será mais benéfico optar-se, pela co-medirão, mas não pela co mediação pura, porque os tempos, as técnicas e os modos de trabalhar das duas formações são diferentes.Ainda que absolutamente complementares. E daqui brotam os pontos positivos:
    1- Foi excelente a forma como foi feita a exploração por parte do Colega.
    2- A presença do Colega , a postura, transmitiram-se segurança e pelo que o mesmo referiu este sentir foi reciproco
    3 – Circulou energia no triângulo formado pelas nossas três cadeiras.

    4- A forma como acolhi o mediado ( embora não tivesse feito o acolhimento da forma usual e que gosto de fazer) e a apresentação permitiram criar um clima de confiança mediado/ mediadores.
    5- Durante toda a simulação, o mediado manteve o contacto visual comigo
    Conclusões:

    1 – Não é de excluir, sendo mesmo um bom método de trabalho a possibilidade de sessões de pré-mediação em separado, nos casos específicos em que seja previsível algum desiquilibrio de poder entre os mediados ( mediação familiar, medição laboral, mediação penal )
    2 – Defendo, que esta sessão em separado, deve ser realizada nos moldes sugeridos pela Lisa Parkison, ou seja obter alguma informação sobre os mediados, sobre as circunstâncias envolventes , sobre conflito, sobre as posições e não muito mais do que isso.
    3- Em situações de algum melindre e de envolvência pessoal e emocional muito grande , a sessão em separado permite ganhar a confiança das partes no mediador e no processo.
    4- Permite igualmente ao mediado, extravasar alguma subjectividade e emotividade e portanto comparecer mais sereno, confiante á sessão de trabalho conjunta.
    5- Co-mediação com dois formadores de escolas diferentes, absolutamente, com a ressalva que de inicio não se deve fazer co-mediação pura, e que o mediadores devem previamente delimitar, definir os objectivos e desideratos da pré-mediação em separado, para evitar a confusão desta com a sessão conjunta
    6 – Por fim a sessão conjunta , atendendo ao facto de se ter logrado obter já do mediado a confiança no processo e nos mediadores, deve ser por estes continuada.
    E foi assim que eu ontem dancei……..
    Um beijo, Maria João Bravo

  3. Tânia Oliveira diz:

    Olá

    Sou aluna do curso de Solicitadoria e Administração do ISCA-Coimbra.

    Voces não estariam interessados em fazer um pouco da vossa campanha aqui pelo nosso instituto, para nos darem a conhecer um bocado o ramo da mediação de conflitos.

    Cumprimentos

  4. Cristina Taveira diz:

    Amigos, para quando cursos de mediação penal, familiar e escolar ?

    Estou à espera. Não se esqueçam de mim, um beijinho grande a todos.

    Até lá.

    C.T.

Escreva um comentário